Coluna do blog desta quinta-feira

Cenário de 2018 começa a se desenhar em Pernambuco

Geralmente as costuras eleitorais começam a ser feitas após o carnaval do ano da eleição, porém como vivenciamos um momento político atípico com a operação Lava-Jato destruindo a carreira política de alguns políticos, bem como há uma fadiga material do PSB em Pernambuco, os atores já começam a se movimentar no sentido de viabilizar palanques competitivos.

Respaldados pela pesquisa Uninassau, que colocou Armando Monteiro com 22% e Mendonça Filho com 12% numa sondagem para governador, Mendonça e Armando tiveram uma semana vitoriosa pra eles, pois de alguns postulantes a cargo majoritário em 2018, foram os únicos a não terem seus nomes envolvidos na lista da Odebrecht. Esse movimento consolidou os dois para uma aliança onde Armando Monteiro seria candidato a governador e Mendonça Filho disputaria o Senado. Eles aguardariam outros atores, inclusive Bruno Araújo, que teve seu nome colocado na lista da Odebrecht, para repaginar a finada União por Pernambuco em 2018.

Já o PT, que foi rejeitado por Armando Monteiro, tem se movimentado no sentido de lançar a vereadora do Recife Marília Arraes a governadora, e o deputado Silvio Costa, que se filiaria a sigla, a senador, numa aliança com o PSOL do deputado estadual Edilson Silva e do ex-deputado federal Paulo Rubem Santiago. João Paulo e Humberto Costa, maiores lideranças do PT, por ora, seriam candidatos a deputado federal no ano que vem.

Já o governador Paulo Câmara estaria cogitando ter como vice-governador o deputado federal André de Paula, enquanto Jarbas Vasconcelos, também alvejado pela lista da Odebrecht, seria candidato a uma das vagas a senador. A outra vaga ainda estaria disponível para ser ofertada ao PSDB do ministro das Cidades Bruno Araújo, que mesmo na Lava-Jato, ainda é a noiva mais cobiçada de 2018 em Pernambuco.

Com o cenário que está se desenhando, Pernambuco pode ter uma reedição da eleição de 2006, quando teve três candidatos fortes a governador e pela primeira vez na história teve dois turnos numa eleição pelo Palácio do Campo das Princesas. Armando, Marília e Paulo, que outrora estiveram no mesmo palanque até 2012, poderão travar uma briga fratricida pelo comando do governo de Pernambuco no ano que vem.

Afinados – Netos de Miguel Arraes, Antonio Campos e Marília Arraes estão bastante afinados e podem marchar juntos em 2018. Eles têm um objetivo comum: defenestrar o PSB, e estão com sangue nos olhos pra isso. Antônio Campos deverá, inclusive, oficializar a sua filiação ao PDT nos próximos meses para ser candidato a deputado no ano que vem.

Arroz doce – O deputado Alvaro Porto direcionou sua metralhadora giratória para o secretário dos Transportes Sebastião Oliveira, durante o Pernambuco de Verdade em Santa Cruz do Capibaribe. Alvaro chamou Sebastião de ladrão, bandido, mau caráter e covarde, só não chamou de arroz doce. O deputado Alvaro Porto há muito tempo levou suas críticas ao governo para o campo pessoal.

Lançamento – O ministro das Cidades Bruno Araújo em entrevista ao Cidade em Foco do radialista Alberes Xavier, praticamente lançou a candidatura do prefeito de Santa Cruz do Capibaribe Edson Vieira a deputado federal, ao afirmar que Edson é um excelente quadro político para tentar um mandato na Câmara Federal caso o ministro seja mesmo candidato a senador em 2018.

PDT – O PDT do deputado federal Wolney Queiroz e do ex-prefeito de Caruaru José Queiroz, já decidiu que não marchará com a reeleição do governador Paulo Câmara em 2018. As negociações estão em torno de Armando Monteiro ou numa composição com o PT para a disputa. Wolney e Zé estão sendo tratados a pão e água pelo Palácio do Campo das Princesas desde que Zé saiu da prefeitura.

RÁPIDAS

Ileso – O prefeito Lula Cabral foi o único político importante do Cabo de Santo Agostinho a não ter seu nome envolvido na lista da Odebrecht. O ex-prefeito Vado da Farmácia e o deputado federal Betinho Gomes estão na lista por supostamente terem recebido doações da empresa por conta de um suposto favorecimento da empreiteira na Reserva do Paiva. Juntos, Betinho e Vado teriam sido beneficiados com mais de R$ 200 mil.

Coincidência – Durante duas ocasiões em que estouram bombas contra a classe política, o prefeito Geraldo Julio esteve viajando. Ou o prefeito tem informações privilegiadas ou está contando com a sorte sabe lá até quando, uma vez que documentos da delação da Odebrecht podem atingi-lo em cheio, já que ele foi beneficiado por doações da empreiteira.

Inocente quer saber – O Lulécio de 2006 em Minas Gerais terá a dobradinha de Lula e Aécio repetida em 2017 no presídio da Papuda?

Sobre Edmar Lyra
Jornalista político, editor do Blog Edmar Lyra.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*