• image

    Coluna do blog desta sexta-feira

    Manutenção de Renan foi a salvação do governo Temer 

    Prestes a deixar a presidência do Senado em breve por conta do término do seu mandato, Renan Calheiros esteve muito perto de sair do cargo por uma decisão monocrática do ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Mello, porém o pleno do STF acabou optando por 6 votos a 3 pela manutenção de Renan na presidência do Senado, afastando-o apenas da linha sucessória da presidência da República.

    A decisão, que causou muita repercussão na sociedade, sobretudo negativa, foi de fundamental importância para o êxito do governo Michel Temer, isso porque caso Renan Calheiros fosse afastado, o senadorX Jorge Viana do PT ocuparia o cargo, que poderia criar um grande imbróglio para o Palácio do Planalto que aguarda com ansiedade a colocação da PEC 55 na pauta de votação do Senado para o próximo dia 13, como ninguém sabe qual seria a reação do petista Jorge Viana no cargo, poderia acontecer de ele ser pressionado pelo partido a deixar apenas para 2017 a votação da PEC 55, o que poderia se configurar num verdadeiro desastre para o governo Temer que tenta com o estabelecimento do teto dos gastos públicos a recuperação da credibilidade e da economia como um todo do país.

    A relação entre Michel Temer e Renan Calheiros, que integram o mesmo partido, o PMDB, nunca foi das melhores, sempre havendo uma rivalidade entre ambos, mas desde que Temer assumiu a presidência da República, Renan tem sido um importante fiador do seu governo no Senado, tal como foi com todos os demais presidentes que antecederam Temer, e sua presença na presidência do Senado tem sido de fundamental importância para a governabilidade do país dentro do Congresso Nacional.

    Na política não existe um jogo de vilões e mocinhos, Renan Calheiros apesar de ter todos os traços de um grande vilão, a sua relevância em Brasília sobretudo para manter os pilares da República faz com que muita gente tenha que ceder aos seus caprichos, foi assim com o Supremo Tribunal Federal e tende a ser com o governo Michel Temer, que segue nas mãos do homem mais poderoso do Brasil para poder sair das cordas e tentar um 2017 menos turbulento após a aprovação da PEC do teto.

    Rebelde – O deputado estadual Alvaro Porto (PSD) se elegeu em 2014 pelo PTB do senador Armando Monteiro, adversário derrotado pelo governador Paulo Câmara. Tão logo teve a oportunidade virou a casaca do partido de Armando e da bancada de oposição para virar um governista contumaz. Bastou chegar o processo eleitoral deste ano que o deputado optou por atacar o governo Paulo Câmara quase que diariamente.

    Confusão – As especulações de que o deputado federal Antonio Imbassahy (PSDB/BA) assumiria a secretaria de governo do presidente Michel Temer sendo que numa versão mais robusta e mais poderosa ganhou a oposição do chamado centrão da Câmara dos Deputados. Eles desejam que o nome para o posto seja alguém do PMDB ou ligado ao grupo, senão pode haver rebelião na base. Temer acabou deixando para depois a decisão qué seria anunciada ontem.

    Assessoria – Derrotado nas urnas e sem espaço na gestão do prefeito Geraldo Julio, o presidente da Câmara Vicente André Gomes (PSB) pode assumir uma assessoria especial na Casa José Mariano, uma vez que é tradição na Casa nomear vereadores que não obtiveram sucesso nas urnas ganhando um ótimo salário apenas para continuar fazendo política.

    Agenda – O presidente Michel Temer cumpre agenda em Pernambuco hoje, sendo a primeira agenda em Surubim e a segunda em Floresta. Acompanham o presidente os ministros Bruno Araújo (Cidades), Mendonça Filho (Educação) e Fernando Filho (Minas e Energia), além do governador Paulo Câmara.

    RÁPIDAS

    Mantido – O deputado estadual Vinicius Labanca (PSB) deverá ser mantido na segunda secretaria da mesa diretora na eleição da Alepe que ocorrerá na próxima segunda-feira a partir das 15 horas no plenário da Casa Joaquim Nabuco.

    Força – Após se desvencilhar do grupo político do deputado federal Daniel Coelho (PSDB), o vereador do Recife Wanderson Florêncio (PSC) só fez crescer na política, tendo assumido o mandato como suplente e se reelegendo com quase nove mil votos em outubro, consolidando a sua trajetória e demonstrando sua força.

    Inocente quer saber – O presidente Michel Temer será hostilizado em sua visita hoje a Pernambuco?

    Leia Mais
  • image

    Armando acusa Governo do Estado de não se antecipar à Seca

    O senador Armando Monteiro (PTB-OPE) acusou hoje (quinta, 08) o governo do estado de não haver se preparado adequadamente para enfrentar a seca em Pernambuco, considerada a pior dos últimos 60 anos. Em discurso no plenário do Senado, enfatizou que “faltaram pró-atividade e capacidade de antecipação ao quadro de colapso” provocado pela estiagem, sobretudo no Agreste.

    Segundo ele, o governo estadual ignorou os alertas de especialistas que, ainda em 2012, apontavam que estava se avizinhando um período de seca mais severa do que no biênio 1983-84. Disse que, apesar do alto grau de vulnerabilidade do Agreste a estiagens, pela alta densidade demográfica e pela natureza das suas atividades produtivas e inexistência de reservas subterrâneas, somente agora, depois dos efeitos econômicos e sociais “devastadores” da seca, o governo local está tomando providências e com resultados apenas a partir do próximo ano.

    “O governo do estado tinha alternativas. Ou se prepararia para assumir, com aportes de recursos, a obra da Adutora do Agreste e assim contribuiria para sua conclusão, ou buscaria outras opções, que somente agora estão sendo providenciadas, em caráter emergencial, depois de se constatar a crise de abastecimento d´água e de se assistir a graves perdas econômicas”, assinalou.

    O senador petebista salientou que ficará apenas para 2017 a conclusão de obras como a Adutora do Pirangi, financiada pelo Banco Mundial, a perfuração de poços profundos em Tupanatinga e a construção do sistema Adutor do Moxotó, que dependem de recursos do governo federal, cuja liberação anunciou que irá cobrar. “Até lá, infelizmente, o sofrimento da população continuará, como admitiu o presidente da Compesa, Roberto Tavares”, acrescentou.

    Perdas dramáticas – Armando Monteiro listou, no seu discurso, algumas das perdas econômicas provocadas pela seca, que classificou como “dramáticas”, especialmente no Agreste:

    * queda de 9,2% no PIB da agropecuária no primeiro semestre, comparativamente a igual período de 2015;
    * redução de 25% na produtividade da bacia leiteira, que caiu de 2,5 milhões para 1,4 milhão de litros diários de leite, enquanto a produção de queijo diminuiu para menos da metade, de 40 mil quilos/dia para 18 mil;
    * fechamento de 40% das lavanderias usadas na produção de jeans do polo de confecções, cuja produção, de 720 milhões de peças em 2015, cairá em 20 milhões de peças este ano, pela escassez de água;
    * desativação de vários aviários, cuja atividade necessita de 700 carros pipa diariamente;
    * nada menos do que 25 dos 71 municípios do Agreste dependem exclusivamente, para acesso à água, de carros pipa, cujo preço dobrou, pulando de R$ 150 para R$ 300 cada.

    Leia Mais
  • image

    Pagamento do IPVA é adiado de janeiro para fevereiro

    O pagamento da cota única e da primeira parcela do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) será adiado de janeiro para fevereiro de 2017. A decisão foi tomada hoje (08.12) pelo governador Paulo Câmara, em reunião com o secretário da Fazenda, Marcelo Barros. Foi mantido o pagamento da parcela única com o desconto ampliado de 5% para 7%. “A decisão foi tomada com o objetivo de permitir que o contribuinte possa planejar melhor seus pagamentos no início do ano e reconhecendo o curto prazo existente do anúncio até o pagamento em janeiro. E o desconto maior para a parcela única foi mantido”, disse o governador Paulo Câmara.

    O governador Paulo Câmara lembrou que 50% dos recursos obtidos com o IPVA são repassados para os municípios. “Foi uma forma que encontramos de também ajudar os municípios pernambucanos, neste início de 2017. A crise econômica nacional tem levado muitas prefeituras a suspenderem, por exemplo, serviços de saúde, o trabalho de combate às arboviroses. A antecipação desse dinheiro chegará num momento importante”, argumentou Paulo.

    O que também sofreu uma redução foi o valor do próprio IPVA em 2017: dados da Fundação Instituto de Pesquisas Aplicáveis (FIPE), mostram que o valor venal dos veículos caiu 3,8% em 2016 em comparação com 2015. No caso dos automóveis, a redução foi de 4,5%. Já para caminhões, o preço diminuiu, em média, 6,3%. O valor do IPVA ficará menor porque ele tem como base os preços divulgados na Tabela FIPE.

    Leia Mais

Coluna diária

Jaboatão

Nordeste

Pernambuco

Brasil